Moda é futilidade?

Quando pensamos em moda, o que nos vem à cabeça? Glamour, desfiles, grifes, beleza… Outros acham que moda é futilidade, besteira. Mas o que é moda?

Moda vem do latim Modus e significa modo, maneira, comportamento. Portanto, podemos dizer que moda é um fenômeno que define o que um grupo de pessoas está preferindo em determinado momento, podendo estar presente em diversas áreas (ciências, artes, literatura, etc).

Moda é tendência de consumo da atualidade. Ela acompanha o vestuário e o tempo, num contexto político, social e sociológico. Por exemplo: você sabia que na 2ª Guerra Mundial, o governo londrino impôs, além do racionamento de alimentos, o racionamento de vestuário, devido à escassez de bens essenciais. As saias longas e volumosas, ficaram mais curtas e retas. Com os homens na guerra, as mulheres assumiram trabalhos tipicamente masculinos e isso afetou também a vestimenta: calças, macacões, blusões de aviador e tailleur passaram a afazer parte do guarda-roupa feminino.

Além de ser representação social, moda é arte. O estilista, a costureira, o alfaiate se expressam ao produzirem uma roupa.

Logo, moda é comunicação; comunicação não verbal. O que você veste diz algo sobre você. Um jeans e uma camiseta branca passam uma informação.

Outro fator é decisivo para destacar a importância da moda, é sua relevância econômica. Muito além das passarelas, a indústria da moda emprega diversos profissionais e movimenta outras áreas da economia. Em 2016, o mercado mundial da moda movimentou U$ 2,4 trilhões.

No Brasil, para 2017, a perspectiva é de que o faturamento do setor têxtil e de confecção seja de R$ 135 bilhões (US$ 40,2 bilhões), o que significa um aumento de 4,6% em relação a 2016, segundo a Abit – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção.

Atualmente, o segmento totaliza mais de 365 mil empresas de varejo e é detentor de mais de 679 mil postos de trabalho, movimentando quase R$ 10 bilhões em salários. O aumento nas vendas nos últimos 10 anos, fez com que o Brasil saltasse da sétima para a quinta posição no ranking dos maiores consumidores mundiais de roupas.

Ao fim, podemos afirmar definitivamente que futilidade não cabe nesse cenário, uma vez que, para entender de moda, é preciso no mínimo, conhecimentos de Cultura, Arte, Psicologia, História e claro, Economia.

Pra encerrar, uma cena marcante do filme O Diabo Veste Prada, resume a relevância da moda.

Miranda, editora chefe de uma importante revista de moda está escolhendo os acessórios para um ensaio fotográfico. Uma assistente mostra dois cintos aparentemente parecidos para ela escolher, e diz  que os dois são muito diferentes. Neste momento, Andréa dá uma risada.
Miranda – Algo engraçado?

Andréa – Não, nada. É que para mim estes dois cintos são iguais. Eu ainda estou aprendendo sobre essas coisas.

Miranda – Essas… coisas? Ah, ok, entendi. Você acha que isso não tem nada a ver com você. Você vai até o seu guarda-roupa e escolhe esse sweater azul folgado para dizer ao mundo que se leva muito a sério pra se importar com o que veste. O que você não sabe é que esse sweater não é apenas azul. Nem turquesa, nem lápis-lazúli. Na verdade, é cerúleo. E você também não tem a menor noção de que, em 2002, Oscar de la Renta fez vestidos cerúleos e Yves Saint Laurent fez jaquetas militares cerúleas. E o cerúleo logo foi visto em oito coleções diferentes. E acabou nas grandes lojas de departamento e, um tempo depois, em alguma lojinha de esquina onde você, sem dúvida, o comprou em uma liquidação. No entanto, esse azul representa milhões de dólares e incontáveis empregos. E é até meio cômico que você ache que sua escolha a isente da indústria da moda quando, de fato, você usa um sweater que foi selecionado pelas pessoas nesta sala”.

Joana Araújo é bacharel em Secretariado Executivo e Jornalismo, com formação em Jornalista de Moda e Consultoria de Imagem. Herdou interesse pelo mundo fashion da mãe, que é costureira e resolveu aliar as duas paixões: jornalismo de moda.

A páscoa já passou, mas não é por isso que devemos parar de comer ovos de chocolate e essas delícias que só encontramos nessa época. Muito pelo contrário, agora que é bom você botar a mão na massa e preparar essas receitinhas, porque tudo vai ficando mais barato, a fôrma do ovo, os chocolates e doces em geral.

E se você é o(a) louco(a) do chocolate, vou separar outras delícias pra gente matar saudade da páscoa…. Ah, e sobre a dieta? A dieta a gente deixa para segunda-feira que vem.

(mais…)

“Comecei a pensar como a vida de todos estaria melhor sem mim.” —  Os 13 porquês. 

Sem spoilers:

Depois de assistir a série em apenas três noites, tirei um tempo para pensar um pouco sobre ela. Se fosse para falar dela no exato momento em que terminei, com certeza eu indicaria pra todo mundo, mas ao pensar bem, percebi que não é exatamente assim. O seriado é realmente muito bom por tratar de assuntos importantes, principalmente para os jovens, como bullying e assédio sexual, além de nos fazer pensar bastante sobre como tratamos as pessoas, é bem aquela frase: “Todo mundo que a gente encontra na vida está enfrentando uma batalha que você não sabe nada a respeito. Seja gentil com todo mundo. Sempre!”

Olhando pelo lado de quem não sofre e sim de quem faz sofrer, é uma boa escolha, para você ter consciência dos seus atos na vida de outras pessoas. Já olhando pelo lado de quem é agredido, de quem sofre com essas coisas, é um pouco mais complicado. Chego a dizer que, se você não está em um bom momento e pensa em desaparecer do mundo, não assista a série. É um pouco pesado em certas partes, inclusive, no início dos três último episódios (não, não é spoiler), aparece uma imagem alertando que haverá cenas fortes.

Mas, a série é realmente muito boa se tirarmos algumas partes deum pouco exageradas, o que é comum na maioria das séries juvenis de hoje em dia.

Com spoilers:

Se você já viu os episódios, sente aí e vamos trocar uma ideia sobre porque eu ainda estou tentando entender o quanto eu realmente gosto da série. Sim, é muito boa pelos motivos, que disse aí em cima, ela nos ajuda a refletir. Mas, ao mesmo tempo, como eu também já falei, ela é um pocuo exagerada.

Não li o livro, então ainda não posso comparar os dois, mas realmente espero que a versão impressa não tenha toda essa chatice do Tony e exageros do Clay. Tenho um carinho enorme pelo personagem do Dylan Minnette com a Hannah Baker, mas pelo amor de Deus, ele cria uma tempestade desnecessária sobre as coisas, além da demora que tem para ouvir as fitas.

Sem falar na parte da Hannah de colocar a Sheri nas fitas, pra quem não lembra, a garota apenas derrubou uma placa de pare. Ok, isso pode ter causado um acidente de trânsito, mas ela não deve ser culpada pelo suicídio da amiga apenas por isso. O Sr. Poter, que também não fez absolutamente nada, além de tentar entender o que estava acontecendo com a garota.

Temos que deixar claro que Hannah nem é tão “santa” assim, ela mentiu a respeito do Zach ter jogado o bilhete fora e depois de fazer os colegas da escola jogarem pedras na janela do Tyler, fez o próprio se sentir ainda pior. Ela pode ter sofrido, mas fez outras pessoas sofrerem também. Não é contraditório e irônico da parte dela?! Ainda incitou avingança como melhor maneira de lidar com esse tipo de problema. 

Importante pensar que as vezes nós precisamos e queremos ajuda, mas não deixamos ninguém nos ajudar. Reflita um pouco antes de achar que todo mundo está contra você, talez você não deixe ninguém se aproximar. 😉

Os 13 Porquês está disponível na Netflix.

Na segunda etapa do nosso projeto #15Anos, você já tem que ter em mente se vai querer a viagem ou a festa, se ainda não escolheu, corre no nosso primeiro post que a gente te ajuda a descobrir. Mas, se você já sabe qual você vai querer, independente do que você escolheu, nós vamos te ajudar a dar os primeiros passos para tornar o sonho em realidade.

Se você escolheu a…

  • Festa

Muita gente fala que a primeira coisa que você deve saber antes de sair por aí olhando os detalhes é o quanto você pretende gastar, mas eu não acho. Às vezes os pais não sabem muito bem os preços de uma festa e é bom que você e eles tenham alguns orçamentos de itens que são indispensáveis para esse dia. Tendo uma ideia dos preços, que vária de cidade para cidade, vocês podem sentar e discutir um valor que vão poder gastar no evento.

É bom lembrar que você consegue fazer uma festa de 15 anos de R$ 100 mil, como também com R$ 5 mil, então não surte ao saber sobre os números, no final tudo dá certo. Ao saber o preço, comece a pensar em algo que se encaixe, se não for um valor muito alto, tente pensar em algo mais intimista (que, inclusive, está super em alta) e salões que já fornecem coisas a mais como som, buffet e decoração, isso pode acabar saindo mais em conta do que contratar cada serviço individualmente.

É bom também que você faça uma lista do que não pode faltar na sua festa e o que você quer que tenha, para primeiro você contratar o que realmente é necessário, como comida, vestido e fotos.

Ah, e na hora de fazer os orçamentos, não se esqueça de ver em muitos lugares antes de fechar com alguém, é um absurdo como os preços podem mudar de empresa para empresa. Mas, claro… Tenha cuidado para ver se todos que você estiver indo realmente sejam lugares bons e que outros clientes indicam.

  • Viagem

Sem dúvida o primeiro passo é decidir para onde você vai. A grande maioria escolhe a cidade de Orlando, nos Estados Unidos, onde fica aquela famigerada Disney World. Mas, antes de você sair por aí fazendo a mesma escolha de todo mundo, senta a vai viajar pela internet. Disney é um lugar maravilhoso, mas lá o que você vai fazer é compras e ir em parques de diversão… Tá, é bem legal, mas isso é realmente a sua “praia”?

Se você realmente quer ir para fora do país, você tema opção de intercâmbio para poder ter uma língua extrangeira no currículo, o que ajuda demais no futuro. E se você prefere optar por algo mais simples só pra conhecer, que tal São Francisco, Atlanta, Nashville, Los Angeles (Estados Unidos) ou Cancún, Acapulco, Buenos Aires, Bariloche (México e Argentina) ou Roma, Londres, Amsterdã, Budapeste, Praga, Moscou, Barcelona (Europa).

Há uma infinidade de lugares para você conhecer, que não vão ser focados apenas em compras e parques e que mesmo assim você ainda pode conseguir achar essas duas coisas. Mas, se a Disney é seu sonho, se joga e vai!!!

Se o orçamento está um pouquinho apertado para sair do Brasil, mas você gosta mesmo é de viajar, pode ficar tranquila, ainda há muitos locais legais no Brasil que você provavelmente não conhece. Foz do Iguaçu, Manaus, Gramado, Floripa, Bonito, Balneário Camboriú, Angra dos Reis, Canela são apenas algumas. E olha quem alguns destinos dentro do país, podem sair até mais caro que outros lá de fora. Se os valores ainda forem altos, foque em algo mais próximo e barato, mas em um hotel bem legal. Tem Caldas Novas, Campinas, Ouro Preto, Brasília, Mariana São Roque e Brumadinho. Uma boa dica é usar o site Quanto Custa Viajar pra encontrar a viajem que se adequa ao seu orçamento.

Esse post foi só com as primeiras dicas para você começar os seus prepativos, no próximo (24/04), vocês vão conferir as dicas na hora de escolher cada empresa e coisas diferentes para deixar o evento bem único e com a sua cara. 😉 E se você tem alguma dúvida sobre o tema #15anos, mande pra gente por inbox no Instagram, no Facebook ou no Twitter com a hashtag #15anosColorindoVidas ♥

Posts #15Anos:

Ah, e você já passou dos 15 anos? Conta sua história pra gente! O que você escolheu? Manda um email pra gente contando, quem sabe sua história não aparece aqui 😉 contato@colorindovidas.com

  • Com que bolsa eu vou… Para o samba que você me convidou? ♪

Começou com as cases para celulares e chegou até as bolsas, a Moda Fun virou trend na estação passada e promete continuar com tudo em 2017. Além das capinhas e grande influência de artistas consagradas como Katy Perry, esse estilo de acessórios divertidos ganhou o look das brasileiras, principalmente depois da “onda” de patches e pins.

Como a Moda Fun veio também as tendências de sereísmo, quadrinhos, brilho e criaturas fofas como o unicórnio. Tudo que às vezes é mitológico, mas de alguma forma deixa nosso dia-a-dia colorido, mais divertido. São aquelas peças que o seu “eu” da infância iria amar.

As bolsas e acessórios que têm essa pegada podem ser usada de qualquer forma, dependendo do seu estilo. Se você for ousada como uma Katy Perry ou Maria Eugênia da vida, se joga e bota uma produção bem diferentona, colorida e muuuito divertida. Mas, se você é um pouco mais discreta que isso e também gostou da tendência, procure usar em looks mais street ou rocker, com isso você pode dar uma quabrada em um look pesado, mas procure usar poucos tons nas roupas para dar uma harmonizada na composição e não enchê-la de detalhes.

Claro que você também pode apostar em looks bem delicados e fofos com tons neutros e jogar a bolsa como destaque da produção, mas tenha em vista que tudo junto pode ficar um pouco feminina demais, não que seja ruim, mas a proposta aqui é deixar uma pegada mais diferentona e não apenas fofinha, se é que me entendem.

Então, separei uma listinha de 10 bolsas diferentonas e estilosas que vocês vão adorar ter no armário. Separei apenas algumas, mas nesses sites (que estão no meu top5 confiáveis da internet) você encontra muitas outras.

1.  Bolsa Tiracolo FiveBlu com bandana

2. Bolsa sacola Santa Lolla com abacaxi

3. Bolsa de couro Jorge Bischoff preta

4. Bolsa tiracolo Petite Jolie mini dourada

5. Bolsa tiracolo Petite Jolie com patches de frutas

6. Bolsa Fluffy rosa

7. Bolsa holográfica de sereia

8. Bolsa de diamante

9. Bolsa fedra bege com rosa

10. Bolsa fedra com olhinhos azuis

Remetendo a uma das músicas mais conhecidas de Marcelo Jeneci, O Melhor da Vida, é que começamos o primeiro Colorindo Vidas Indica do ano. O cantor e compositor, que já trabalhou com grandes nomes da música brasileira, como Vanessa da Mata, Luiz Tatit e Leonardo, tem dois CDs lançados e um deles está presente na lista dos melhores álbuns de 2010 feito pela revista Rolling Stone. Com isso já da pra ver que o cara entende de música, né?!

O que mais chama atenção de quem ainda não conhece o som do cantor são as letras. Sempre positivas, críticas e esparançosas, as canções de Marcelo trazem uma sentimento bom para quem quer que esteja ouvindo e nos tranquiliza com um vocal calmo e muito bonito. Mas, o próprio fala que as letras vão bem além de ser positivo, “o otimista acredita que tudo vai dar certo. Eu não. Espero que, dos erros, possa sair algo de positivo”.

E com um lindo histórico de preparar shows intimistas de graça para o público, Jeneci vem para Uberlândia nesta quinta-feira (30) participar do projeto Uberlândia Cultural, que já trouxe diversos cantores para cidade. Ele cantará na praça de alimentação do Uberlândia Shopping às 19h30.

Se você ainda não conhece, tudo bem. A gente te apresenta 😉

  • De Graça

To te chamando pra acordar
E desfrutar
A graça de viver
Aumente o som devagar
E olhe em volta
Para perceber
Que o bom da vida é de graça

  • Dar-te-ei

Não te darei flores não te darei elas murcham, elas morrem
Não te darei presentes não te darei pois envelhecem e se desbotam
Não te darei bombons não te darei eles acabam, eles derretem
Não te darei festas não te darei elas terminam, elas choram, elas se vão

Dar-te-ei finalmente os beijos meus
Deixarei que esses lábios sejam meus, sejam teus.
Esses embalam…esses secam…mas esses ficam.

  • Felicidade

Felicidade é só questão de ser,
Quando chover… deixar molhar…
Pra receber o sol quando voltar.
Lembrará os dias que você deixou passar sem ver a luz,
Se chorar, chorar é vão,
Porque os dias vão pra nunca mais…

Melhor viver meu bem,
Pois há um lugar em que o sol brilha pra você,
Chorar, sorrir também e depois dançar na chuva
Quando a chuva vem.

  • O Melhor da Vida

O que vale nessa vida é ver como você aproveita
Desde a hora que levanta até a hora que deita
Quando escolhe a coisa certa é tudo sem receita
Quando perto de você a própria confusão se ajeita bem

Vai no show do Marcelo? Confirme aqui sua presença. ♥

Com os 15 anos chegando sempre vem aquela pergunta na mente: Fazer ou não uma festa? E pra ajudar vocês nesse ano tão marcante na vida de qualquer pessoa, nós vamos fazer, de 15 em 15 dias, posts sobre a tão sonhada comemoração, seja ela como uma festa simples, grande ou uma viagem.

Para começar, nós precisamos ajudá-los a fazer a escolha principal: Festa ou viagem? A verdade é que não há resposta certa, você vai se divertir muito em ambos e é bem provável que após a sua decisão final, você ainda fique imaginando como seria se tivesse escolhido diferente. Mas, o principal a saber é o que mais combina com você.

A festa

Começando pelo mais tradicional, a festa é perfeita para quem não abre mão ter a presença de pessoas especiais em momentos tão importantes da vida. Você precisa ter em mente, que na viagem é provável que você não consiga levar todo mundo que você ama. A festa é sem dúvidas uma celebração da sua vida e das pessoas especiais que esteve com você nesses 15 anos. Sem mencionar que, será um momento em que a atenção será voltada para você e todo o evento terá a sua cara.

Se a idade é realmente algo que você acha que deva ser celebrado, uma data de extrema importância, faça a festa! Você terá outros momentos para viajar.

A viagem

Explorar novos lugares… Quem não gosta, né?! Conhecer uma nova cultura, novos hábitos ou até mesmo, apenas ver uma paisagem diferente. Se você conseguir fazer um intercâmbio será ainda melhor, pois você também aprenderá muito e levará essa carga para o seu futuro, no currículo (acredite, isso faz diferença). Sem contar que, você não se preocupará com comentários chatos dos convidados, pois simplesmente não haverá festa, então eles não estarão lá com você. E muito pelo contrário, haverá muita curiosidade da parte de todos querendo saber como foi a experiência.

Eu diria que se você é uma pessoa mais aventureira, que gosta mais de ficar na sua, com os poucos, mas próximos, amigos que tem, opte pela viagem! Se você não é muito de sair, de dançar, já mostra que a festa não será tão legal para você quanto a viagem.

Não se esqueça: Ambas escolhas tem os lados bons e ruins. 😉 Foque no que mais combina com sua personalidade. Haverá outras oportunidades para fazer festa e viagem.

Mas calma. Já escolheu? Se você já decidiu, podemos passar para próxima etapa, que vocês vão conferir aqui no blog no dia 10 de abril. E não se desespere quanto a tipo de viagem, festa ou grana, nós vamos ajudar aos poucos. E se você tem alguma dúvida sobre o tema #15anos, mande pra gente por inbox no Instagram, no Facebook ou no Twitter com a hashtag #15anosColorindoVidas ♥

Posts #15Anos:

Ah, e você já passou dos 15 anos? Conta sua história pra gente! O que você escolheu? Manda um email pra gente contando, quem sabe sua história não aparece aqui 😉 contato@colorindovidas.com

Ainda estamos no meio da semana e nada melhor que uma música boa para podermos relaxar um pouquinho. E nada melhor que versões de músicas acústicas pra isso. Sou suspeita pra falar sobre esse assunto, sempre prefiro as canções com apenas o violão e a voz do cantor, mas tem algumas em especiais, que você também vi curtir muito e não duvido nada que goste tanto, quanto as originais. Confere aí nossa playlist 😉

  • The Only Exception – Paramore

Ok, essa música já é bem calma, mas na versão acústica ela fica ainda melhor. A música, que já recebeu indicação no Grammy pela categoria de Melhor Performance Pop, nos encanta mais ainda nessa nova versão. Com uma letra simples, muito bonita e a voz arrasadora de Hayley, essa virou uma das minhas canções favoritas da banda.

  • Pra Você Dar o Nome – Mariana Nolasco ft. Anavitória

A música, que na verdade é da banda 5 a seco, foi gravado pelo Mariana Nolasco em parceria com o duo Anavitória. Além de ter dado um toque feminino a canção, as vozes do trio combinaram perfeitamente na música e deixaram algo tão leve, que acaba nos deixando bem, mesmo estando falando sobre um amor que foi embora.

  • Closer – Boyce Avenue ft. Sarah Hyland

Sabe aquela música nova do The Chainsmokers que você já deve ter ouvido mil vezes por ai?! É essa mesma, mas na versão da banda Boyce Avenue com a atriz Sara Hyland (sim, é a Haley de Modern Family). Com vozes bem diferentes da versão original e poucos instrumentos, a dupla encantou a todos com Closer, sem falar na Sara cantando que foi uma surpresa muito boa.

  • Bo$$ – Fifth Harmony

Aquela música incrível que a gente nunca cansa de ouvir, né?! Apesar das meninas da Fifth Harmony terem participado do The X Factor, não gosto tanto da versão ao vivo delas, quanto eu gosto das versões originais das músicas. Mas, nesse caso não, elas realmente me surpreenderam. Em meio a brincadeiras e risadas, as meninas deixam o clima bem descontraído e brincam bastante com a própria voz e acredite, tudo se encaixou muito bem no resultado final, da só uma olhada. 😉

  • Hard Out Here – Lily Allen

Como de costume, Lily Allen encantou a todos com uma letra maravilhosa, cheia de sarcasmo e uma melodia muito divertida. Além da música ter ficado com uma clima ainda melhor na versão acústica, o mais legal da canção é a letra, afinal de contas, “Às vezes é difícil encontrar as palavras para dizer, ela segue em frente e as diz mesmo assim”. Não foi à toa que estou deixando o vídeo com uma legenda, Lily trata da questão de desigualdade entre os gêneros. Vale a pena assistir, eu já estou viciada!

Você já tinha visto alguma dessas versões? Tem alguma música acústica que você ouve bastante? Comenta aqui pra gente! 😉

Você tem uma série do coração que já assistiu mil vezes, mas continua sempre vendo aqueles mesmos episódios por pura preguiça de encontrar uma nova ou dificuldade mesmo para achar uma bem legal em meio a tantas? Eu tenho. A minha é Friends, assisto ela durante o almoço e quando simplesmente quero ver algo rápido e que sei que vou gostar (não tem erro ♥).

No início do ano resolvi dar uma pausa em Friends e ir em busca de séries da Netflix para poder mudar um pouco. O meu objetivo era simples, encontrar seriados cômicos e tranquilos, algo que eu pudesse ver enquanto esperasse alguém ou durante um lanche. E achei! Separei quatro delas para vocês conhecerem:

  • Jane The Virgin

Essa série é, sem dúvidas, uma das melhores que encontrei nesse período. Muitos amigos já haviam me indicado, tanto é que eu já havia assistido três episódios, mas acabei parando por achar muito exagerada em certos aspectos. Quando voltei, já não consegui mais parar, vi a primeira temporada em três dias (um recorde, se você pensar que cada episódio tem 40 minutos).

Jane The Virgin é ideal para quem gosta de séries norte-americanas e novelas mexicanas. O seriado conta a história de Jane, uma jovem de 23 anos que ainda é virgem, mas acaba sendo insemidada artificialmente por engano. E ainda por cima, nem é pelo namorado dela e sim por um antigo amor, que estava pretendendo ter o filho insemidado com a atual noiva. Muita confusão!

Com cenas inesperadas como as novelas e direção como seriados, achei a série perfeita para quem busca algo diferente. Tem comédia, ação, romance e vááárias reviravoltas, que você nunca vai esperar. Assiste e vem comentar comigo o que achou, já estou na terceira temporada!

  • Don’t trust the B* in apartment 23 (em tradução livre, Não confie na v* do apartamento 23)

Essa é uma das minhas séries favoritas da vida! Já virou meu seriado substituto de Friends oficial. Comecei a assistir logo depois de Jessica Jones (a atriz é a mesma em ambas as séries) e me apaixonei, é um lado totalmente novo de Krysten Ritter. Ela faz o papel da Chloe, uma das personagens mais loucas e divertidas.

A história começa, quando Chloe começa a dividir o apartamento em Nova Iorque com uma jovem do interior. June, a colega de quarto, é super correta, organizada e com um futuro brilhante pela frente… O oposto da personagem de Krysten, que faz as coisas por impulso, é preguiçosa, sarcástica e tenta tirar vantagem de todo mundo. Ver as duas aprendendo a viver juntas é história para vários episódios divertidíssimos.

Quando você terminar a segunda temporada, com certeza vai odiar ao lembrar que a série foi cancelada. Mas, de qualquer forma, ainda vale super a pena assistir. É o tipo de seriado que cada episódio acontece algo diferente, então você não precisa estar tão ligado no contexto e por isso não há tanta curiosidade em uma possível continuação da história para uma terceira temporada, assim como acontece em Friends.

“Oh, eu acabei de perceber. Eu te odeio.”

  • Raising Hope

Já falei aqui sobre o seriado familiar The Middle e pra quem gosta do mesmo estilo, mas não tem tv por assinatura, a melhor opção é Raising Hope. Confesso que achei o primeiro episódio um pouco exagerado, mas ao longo da temporada, tudo vai se ajustando.

A série conta a história da família louca Chance, após descobrirem que o jovem Jimmy será papai aos 23 anos. Ele dorme com uma criminosa fugitiva (sem saber o histórico dela, obviamente) e nove meses depois descobre que ela está presa e deu a luz a filha deles.

O tema principal é a família aprendendo a lidar com essa novidade, mas acaba sendo bem divertido os perrengues que eles passam, além de podermos nos identificar bastante com os conflitos de Jimmy com os pais. O seriado tem quatro temporadas, todas disponíveis na Netflix, e é ótima para assistir em família, todos vão se identificar.

  • Lovesick

Deixei essa por último, porque é divertida, mas muito mais romântica. Mas, de qualquer forma vale muito a pena assistir e não é aquele romance apenas clichê, é algo mais sofrência, que muita gente pode até se identificar com certas fases de alguns personagens. E tem mais, a segunda temporada foi produzida pela Netflix, já da pra saber que coisa ruim não é, né?!

Em apenas seis episódios de 20 minutos cada, o seriado conta a história de Dylan, um jovem que contraiu clamídia, uma doença sexualmente transmitida. Ao saber da doença, ele resolve ir atrás de todas as ex-namoradas para pedir que elas façm exames e veja se tem ou não a infecção.

Cada episódio mostra um relacionamento diferente de Dylan e cada um é dividido entre o tempo atual e o passado, onde é mostrado como era o namorado e o reencontro de ambos depois do término. É um seriado novo e muito bom para assistir, principalmente para maratona já que a temporada é bem curtinha. As cenas mais engraçadas ficam por conta de luke, um mulherengo que sempre tenta arranjar alguém para o melhor amigo, que no caso, é o personagem principal.

O que vocês acharam da lista? Já assistiram algumas dessas séries? Se já, comenta aqui ou nas nossas redes sociais o que você achou, adoro ter alguém para comentar os episódios! ♥ Me indiquem séries também, quero ver o que vocês curtem.

A equipe do ColorindoVidas acompanhou a gravação do programa Altas Horas, da Rede Globo, comandado por Sérginho Groisman. E para contar para vocês sobre como foi o nosso dia nos estúdios, pensamos em criar o quadro Behind The Cenes, onde vamos falar sobre o cenário, a equipe e como é por trás das câmeras.

Ao chegar nos estúdios da Rede Globo, em São Paulo, nossa equipe foi recepcionada com lanchinhos por funcionários da televisão. Ficamos em uma grande sala, onde todos os telespectadores que vão assistir ao programa ficam. Um pouquinho antes de iniciar as gravações, o diretor-geral aparece para dar aqueles toques sobre a possibilidade de emergências.

Ficamos bem atrás do jogador Kaká.


São muitas pessoas na sala e por isso somos divididos em grupos, para que, aos poucos, entremos no estúdio, onde o diretor escolhe o lugar de cada um. Para nossa sorte, fomos colocadas na primeira fila, logo atrás de onde os convidados do programa sentariam.

Antes do início das gravações, Serginho aparece para dar um oi e conversar com a plateia. Ele sai e logo depois volta, ai sim, é o “show time”. Apesar de haver muitos errinhos, que precisam ser regravados e tiram um pouco a sensação de espontaneidade, é incrível presenciar algo tão grande como aquilo.

O cenário, por incrível que pareça, é gigantesco e, inclusive, é o mesmo onde gravam o Domingão do Faustão (que nós também fomos, mas isso é história para um próximo post). O apresentador sempre dá atenção total ao que a plateia pede. É muito bem organizado, tendo sempre um horário para começar, acabar, ir ao banheiro, tirar as fotos dos artistas, tudo sincronizado no “timing” do programa.

E se você quer tirar foto com alguns dos artistas convidados, é possível sim, mas você precisar estar perto deles. É proibido pedir para algum deles tirar uma selfie, mas se estiver pertinho durante as partes musicais, é só você virar a câmera que a maioria deles será muito solícito e dará um sorrizinho para aparecer do seu lado.

Após aproximadamente quatro horas de gravação, nós saímos, cansados e bastante impressionados com a estrutura gigantesca para algo que vai aparecer durante no máximo duas horas da programação.

Eai, matamos um pouquinho da curiosidade? Se tiver alguma dúvida ou já foi em algum programa, comenta aqui em baixo pra gente. Vamos adorar conversar com vocês! ;*