[Você pode ler esse texto ao som de Que País é Esse? – Legião Urbana]

Quando se vota contra alguém, o candidato que você escolheu não tem muito trabalho pra te convencer. O mérito dele é simplesmente não ser algo ou alguém. Seu candidato não é nada além de não ser quem você não gosta. Isso facilita muito para a campanha e para seu futuro mandato.
Afinal, se o mérito dele é simplesmente não ser alguém, ele também não precisa prometer nada, não deve se comprometer com nada, não precisa ter palavra e nós não precisamos esperar nada dele além de não ser o candidato que não gostamos ou não queremos no poder.

Quando se vota a favor de alguém, acreditamos que aquele projeto pode dar certo, temos metas e compromissos estabelecidos entre eleitores e candidatos. Temos um plano de governo e um horizonte a se alcançar.
Se não der certo, temos argumentos e armas para cobrar o governante que venceu as eleições.

Eu sempre votei no menos pior ou contra alguém. Neste domingo, pela primeira vez na vida, vou votar a favor.

E você, vota a favor ou contra alguém?

Texto por: Leo Morato

Na coluna Feelings traremos toda sexta-feita um novo texto para vocês, e se você quer participar basta nos mandar um texto feito por você para o email meutexto@colorindovidas.com com seu nome, idade e cidade. Quem sabe seu texto não aparece aqui para colorir a vida de mais pessoas. 😉

Listamos 5 séries ótimas para você assistir. Vamos conferir?

CONTÉM SPOILER!

  • One Tree Hill

Em 23 de setembro de 2003, a história de cinco jovens era traçada na cidade de Tree Hill. Nathan, Lucas, Peyton, Brooke e Hayle tinham seus caminhos cruzados e seus destinos mudados pelos dramas adolescentes e suas complicações.

Dois meio irmãos que se detestam, mas que no coração duas paixões os ligam. Uma amizade de anos lançada ao fogo quando os assuntos do coração chegam. São jovens que tem que lidar com brigas, drogas, mentiras, ódio, pressão, basquete e a morte.

Baseadas em 9 temporadas, assistimos em casa, a redenção e transformação de cada um deles.

Lucas e Nathan, filhos de Dan Scott, apaixonados por basquete e em seus corações, Hayle. Criados de formas diferentes, os irmãos Scott aprendem ao longo dos episódios que são mais parecidos do que imaginam e que o perdão pode nascer, assim como o amor. Lucas é criado por Karen e por seu tio Keith, já Nathan criado por seu pai Dan e sua mãe ausente. Garotos opostos, mas que se moldam para ser melhores.

Peyton e Brooke, melhores amigas, opostos, mas que guardam a sementinha do amor por Lucas. Uma amizade pode se quebrar em mil pedaços quando o amor por um garoto está em jogo. Mas no meio do triângulo amoroso, segredos e situações trágicas são colocados a prova, levando-as para um caminho totalmente diferente. Lucas se apaixona por Brooke, Peyton se apaixona por Lucas, e o rapaz é apaixonado por Peyton. Brooke e Peyton são melhores amigas.

A paixão que acende a primeira temporada é de Nathan e Hayle. Um súbito sentimento avassalador que os consome de forma rápida e voraz, e apesar das circunstâncias e dos desdobramentos das 9 temporadas, permanece invicto em seus corações.

Enfim, nessa série, todos os dramas e dúvidas adolescentes são abordados. Os amigos vão traçando seus caminhos no colegial, na vida adulta, profissional e amorosa. Um encanto de série e de lindas reflexões a cada episódio. Vale a pena se apaixonar por essa série.

”Alguém uma vez disse que a morte não é a maior perda na vida. A maior perda é o que morre dentro de nós enquanto vivemos.”

 

 

  • New Girl

Jess precisa de um novo apartamento. Seu namorado estava a traindo e agora ela precisa se mudar. Professora de ensino fundamental e totalmente engraçada, a garota encontra abrigo na casa de Nick, Schmidt e Winston. Um barman, um jogar de basquete e um cara que trabalha em um escritório tentando cuidar de uma garota com o coração partido.

É normal assistir Dirty Dancing 7 vezes por dia quando seu coração está quebrado, não é? Jess agora mora três homens, mas não consegue abafar os gritos de sua depressão pós fim de relacionamento, e agora a missão deles e de sua amiga Cee Cee é ajudá-la a sair da fossa.

A série aborda assuntos da vida adulta e todas as dificuldades de crescer. Personagens forte, bem definidos e super engraçados. Cada um com sua particularidade e forma de resolver os milhares situações da vida cotidiana. Paixão e superação aguarda esses amigos.

Dica para quem for começar: Não assista de madrugada, muita chance de acordar os seus pais! Riso garantido.

Nick com seu jeito ranzinza e ‘bancando o adulto’, barman e totalmente engraçado com sua personalidade ligada ao máximo. Winston é o cara de uma mina só, mas que tem como lema a diversão. Schimidt é engraçado, o ‘garanhão’ da galera e com toda a certeza está ligado com esses meninos até o ultimo fio de cabelo. Cee Cee, modelo, linda e magra, sufoca todos os seus sentimentos até não conseguir mais, porém quem é que resiste a essa intensidade pra sempre? Com certeza, ela não conseguirá. E Jess que ama cantar, atuar e é a menina mais engraçada e pura que existe, impossível não se apaixonar e morrer de rir com esses amigos.

Uma amizade linda que cresce entre os cinco e a descoberta de cada um deles a cada situação. Não dá para não amar e sorrir com as confusões.

A série tem 5 temporadas até o momento.

 

 

  • How I Met Your Mother

As 9 temporadas mais engraçadas e sem noção da eternidade. Uma série para deixar qualquer um vidrado na frente da televisão e apaixonado pela amizade maravilhosa desses cinco amigos. A série é baseada na busca de Ted Mosby pelo amor de sua vida, e desde a primeira temporada ele está contando aos seus filhos ”como eu conheci sua mãe” e em cada detalhe da sua vida, cada história e situações maravilhosas com seus melhores amigos, Barney, Robin, Marshall e Lily.

Marshall, estudante de direito e melhor amigo de Ted anuncia seu noivado com Lily, professora do jardim de infância. Nesse súbito momento Ted percebe que precisa dar um jeito na sua vida amorosa. Para ajuda-lo Barney será o encarregado de tirar as teias de aranha da vida de Ted com ideias loucas e opiniões infindáveis. E então Ted conhece Robin, amor à primeira vista pela linda canadense e JORNALISTA!

Mas nem tudo são flores e são necessárias 9 temporadas para Ted encontrar o amor de sua vida, aquela que ele amará por toda a eternidade e será a mãe de seus filhos.

Uma história tão atual sobre o amor, amizade e coisas da vida. Os cinco amigos nova-iorquinos possuem uma particularidade inestimável que traz humor e reflexão de uma forma inovadora.

”Aqui está o segredo crianças: Nenhum de nós pode prometer ser perfeito. No final só podemos prometer amar um ao outro de todo o coração, porque amar é a melhor coisa que fazemos.

Barney é um mulherengo, firme em suas decisões sexuais e no HIGH FIVE! Robin, jornalista canadense, filha de um militar, dura e totalmente louca. Marshall é o lado fofo do relacionamento, seu maior sonho é ser juiz e odeia o chefe com toda suas formas, mas ama ainda mais Lily. Professora do jardim de infância e a ‘mãe’ de todos na hora certa, mas pode ser a mais louca irmã da face da terra se alguém se meter com seus amigos. Ted com toda a certeza é o cara mais apaixonado do mundo, arquiteto e sonhador reflete esperança em cada olhar sofrido e a cada relacionamento que não dá certo, a chama do amor ainda vive no seu coração.

Um bar, uma sombrinha amarela, cinco amigos e Nova Iorque. É disso que eles precisam.

 

  • White Collar

Quem é que já nunca pensou nos olhos de Neal Caffrey? Com toda certeza, Peter Burke não se abala tão facilmente. Neal comete crimes de colarinho branco e foi cassado por Peter e sua equipe do FBI por três anos. Mas agora eles são amigos! É.

O FBI, nem Peter esperavam que sua única chance de prender muitos criminosos seria com a ajuda de um. Uma parceria nada convencional mas excepcional. Neal, o melhor falsificador de obras de artes, reconhece de longe boas falsificações, Peter chefe de setor do FBI, marido e o homem que pegou Caffrey. Uma equipe de peso.

O ”bandido de luxo”, condenado a quatro anos de prisão por crimes de falsificação e roubos de obra de arte é preso pelo agente Peter Burke. Faltando apenas poucos meses para completar sua pena, Neal foge da prisão para encontrar com sua amada, Kate. Mas, o que deveria ser uma conversa para reatar o racionamento, é apenas mais um adeus para o criminoso. Preso pela segunda vez por Peter, Neal precisa traçar estratégias para sair da cadeia e encontrar Katie, e por forças maiores, o agente do FBI vê no criminoso uma chance de conseguir solucionar crimes de colarinho branco. Uma parceria inusitada, mas a chance perfeita para um homem que precisa da liberdade para encontrar seu amor.

A série está caminhando para sua última temporada, sem dúvidas uma história bem elaborada e com personagens bem firmes. Vale a pena embarcar nos segredos e adrenalina desses dois.

 

 

 

 

  • Game of Thrones

O inverno está chegando! A sensação do momento, uma série cheia de surpresas e fantasias. Não é só modinha, a história de George R. R. Martin realmente caiu no gosto do público. A série é baseada nos livros, na série As Crônicas de Gelo e Fogo, porém não segue exatamente o roteiro.

Desde 2011 quando estreou na televisão, conquistou fãs em todo o mundo, fascinados pela vida das famílias dos Sete Reinos. A série se baseia na idade média e em elementos sobrenaturais.

Uma das famílias mais queridas é a Stark, Eddard, Catlyn, Sansa, Rob, Bran, Rickon, Arya e o bastardo Jon Snow. Vivendo em Winterfell, a família protetora recebe a visita de Rei Robert e de sua família. Ned recebe a proposta de ser Mão do Rei, o segundo maior cargo, abaixo apenas do rei. Uma proposta que desperta o ódio da rainha Cercei Lannister que através de seus planos malignos traça o destino da família Stark.

A série conta a história de várias famílias, temas que eram realidade da idade média. Dragões, feiticeiras, brigas por tronos e caminhantes brancos.

A história mais bem elaborada dos últimos tempos, o autor liga cada detalhe, cada casa com tamanha precisão que choca o público. Cada um tem seu lado, a batalha que quer travar e um objetivo em comum.

Ninguém está sozinho, os segredos revelados, poderes sobrenaturais e uma vontade intensa de vencer, tomar, lutar.

O inverno chegou na sexta temporada e em setembro de 2017 a HBO exibirá a última temporada. Apertem os cintos e embarque nessa história emocionante.

Dica: Não se apegue a ninguém! Assim você evitará um coração partido.

 

 

Esperamos que tenha gostado das dicas. Aproveite e escolha qual você vai iniciar. Tem sugestão para nós? Deixe nos comentários (:

 

Até :*

Pare um segundo, nós precisamos falar sobre Leonard!

O dia 22 de Setembro foi um dia de espanto para o Brasil com a morte do ator Domingos Montagner. Nas redes sociais houve várias mensagens de compadecimento com a família e muitas mensagens reflexivas sobre o quão curta é nossa vida., e um dos motivos dessa resenha é justamente sobre essa meditação.

O autor Matthew Quick nos faz viajar por um mundo novo e diferente pelos olhos de Leornard Peacock, um garoto cheio de receios e problemas como a maioria dos jovens, mas que transborda uma força irreal no seu interior.

perdaon_leonard_peacock_1375464387b

Hoje é aniversário de Leonard e ele planeja matar seu ex-melhor amigo e depois acabar com sua própria vida com uma P-38 da 2º Guerra Mundial. Mas antes de completar seu plano, ele tem que se despedir de quatro pessoas importantes na sua vida, cada uma delas mais apaixonante e especial em sua particularidade.

Seu vizinho Walt, apaixonado por filmes de Humphrey Bogart, com quem ele assiste filmes antigos quase todos os dias. Baback que estuda na mesma escola que Leonard e toca violino – mas é amigo dele na cabeça de Léo. Lauren é a garota cristã por quem ele se apaixona e Herr Silverman, o professor que está ensinando sua turma sobre o holocausto.

“- Por que você está me dando isso?

– Bem, por uma porção de motivos. A maioria eu realmente não consigo explicar direito. É por isso que as pessoas dão presentes, certo? Porque não sabem como se expressar em palavras, então dão presentes para expressar simbolicamente seus sentimentos.”

Leonard está vivendo em um mundo cinza, aprisionado na ideia imposta de ser adulto, mas não consegue encontrar redenção ao longo de sua jornada, vendo assim sua única saída acabar com a vida de uma pessoa, para que ele tenha motivos o suficiente para acabar com a sua.

Cada um de seus amigos recebem um presente, e Matthew Quick conta-nos um pedaço de cada história, com um tom de esperteza e realidade que nos choca por identificarmos com Leonard ou com qualquer outro dos personagens. Uma sintonia perfeita que deixa-nos  com o coração apertado e lágrimas nos olhos.

Mesmo afundado em sua tristeza, Leonard recebe ”cartas do futuro”, elas são em sua maioria cheias de esperanças, contos que ele queria que existisse. A cada carta, meus olhos se enchiam de lágrimas, e meu coração de esperança por aquele garoto.

perdao

“Estou tentando fazer com que ele saiba o que estou prestes a fazer. Estou torcendo para que ele possa me salvar, apesar de saber que não pode.”

Leonard é uma força que existe nas pessoas, é a esperança de um algo bom, é o reflexo as nossas expectativas.

Um dos temas que o livro aborda de forma sutil, para que tenhamos uma reflexão sobre as crianças, é do abuso que elas sofrem, escondem por não conhecerem, e da forma com que isso as moldam, criando conflitos e emoções confusas em sua personalidade.

Quando você percebe, sua fé está totalmente entrelaçada a vida desse jovem, e sua esperança é de que alguém possa descobrir o que ele vai fazer e por um segundo, salva-lo.

“A chave é fazer algo que marque você para sempre na memória das pessoas comuns. Algo que importe.”

E nas últimas frases do livro, o desejo é de pegar esse menino coloca-lo no colo e abraçar para sempre.

O título do livro é tudo o que você quer dizer. Perdão, Leonard Peacock.

 

Sinopse: Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

 

 

Em 2017 está previsto o filme desse livro maravilhoso, dirigido por Channing Tatum. Que venha o filme!

 

Você quer ver mais resenhas? Deixe sua sugestão nos comentários.

Curta nossa página no Facebook Colorindo Vidas.

 

Até :*

[Você pode ler esse texto ao som de It’s Not Too Late – Demi Lovato]

“Se algo de bom acontecer, faça uma viagem para comemorar.

  Se algo de ruim acontecer, faça uma viagem para esquecer.

  Se nada acontecer, faça uma viagem para que algo aconteça.”

Em meu tempo de viajante, durante uns dias que fiquei sem internet, pensei muito nisto: O que é viajar?; Por que viajar?; Por que me sinto diferente dos turistas com a câmera no pescoço fazendo excursão (porque também tenho a câmera no pescoço e estou na mesma excursão e pra falar a verdade não tenho nenhum pudor de fazer um tanto de turismo quando alcança o dinheiro)?

Ora, viajar tira o chão da nossa segurança imaginária, da ilusão da estabilidade.

É a vida aos gritos.

É, convenhamos, um exagero.

Vê: não digo que viajar seja melhor do que não-viajar, o que conto são as minhas conclusões, que é o que eu posso contar, afinal.

Porque concluí que não quero viajar pra ver lugares, pra conhecer gente, pra acumular paisagens e fotografias. Claro que continuarei fazendo tudo isso, até porque que ótimo ver lugares e conhecer gente, mas, antes de tudo, quero viajar pra estar.

Porque pode-se estar em um lugar ou em outro, o mundo é enorme, há lugares lindos por todo lado; há gente interessante pra se descobrir em qualquer cidade: todos os lugares são lugares.

Me lembro de estar sentada no topo de algum morro olhando a vista com o vento na cara e alguma companhia dessas que a gente vai encontrando pelo caminho e com dois dias de convivência parece amizade de dez anos e me lembro de sentir que nada precisava mudar, e que bom estar ali, não querer mudar nada, não querer que o tempo passe mais devagar ou mais rápido.

Estar, e só isso.

E nessa tranquilidade pensar talvez o quanto é incrível a sucessão de momentos, um atrás do outro, sem parar.

Porque sim: lugares e conhecer, mas de que me serve tudo isso se não posso estar nos lugares? e se não estou nos lugares, no momento, estou… onde? Mais ainda porque enquanto viajava não tinha data pra voltar, porque afinal também na vida não existe data de retorno. A vida é tipo uma viagem só de ida (desculpa o clichê, ele escapou de meus dedos e se enroscou no texto).

Nos resta estar presente no único momento em que podemos estar presente;

em qualquer lugar.

Por isso viajar como hipérbole da vida: viajar escancara o que no dia a dia da não-viagem a gente tende a deixar passar pela sutileza da apresentação.

que não estamos seguros;
que não estamos sozinhos;
que somos todos iguais;
que o que vale é o presente;
que todos os dias são diferentes.

e principalmente esse último item: todos os dias são dias, todos os momentos são momentos.

Pelo exagero: viajar é mudar de cenário com frequência, buscar hospedagem, conhecer gente, confiar em desconhecidos. Mas a verdade é que também na vida da não-viagem os dias não se repetem nunca, e talvez faça mais sentido viver a rotina com os olhos abertos de quem empreende uma viagem: acreditando que sempre se enfrenta um novo dia, um novo momento.

Também porque viajar é encontrar o desconhecido (em menor ou maior grau) e aprender que somos todos iguais apesar das diferenças. saber-se um estranho tanto quanto pensamos o outro como estranho. pensar que talvez “estranho sou eu”.

Nesse sentimento da estranheza somos todos humanos.

Numa conversa com um amigo argentino, quando estava no interior do Uruguai, comentei que não sabia se seria capaz de viver com a indefinição, com nunca saber o que vai ser o mês que vem, com a insegurança de não ter algo fixo em que me apoiar, que talvez devesse me estabilizar, ter uma casa etc. Ele me disse que mesmo na rotina da cidade e do emprego fixo o que temos é só uma ilusão de estabilidade; no mês seguinte pode faltar o emprego, a casa, um amigo. Podemos ser obrigados a recomeçar.

Viajar só explicita a verdade que na vida da não-viagem a gente se recusa a ver.

Tudo isso porque lendo “The Tao of Travel”, do Paul Theroux, no capítulo sobre ficar em casa (um capítulo sobre não viajar num livro sobre livros de viagem) topei com a declaração de um monge budista que abriu mão de tudo e não saía de casa:

“Desde que eu abandonei esse mundo e rompi todos os laços, eu não senti medo e ressentimento. Eu me comprometi minha vida com o destino sem desejos especiais de vida ou desejo de morrer. Como uma nuvem flutuando, eu não tenho ligação e nem dependo de ninguém. Meu único luxo é um sono profundo e tudo que eu vejo a frente é a beleza das mudanças de estações.”

E pensei claro, óbvio: viajar pra preencher um vazio de lugares a serem vistos não faz o menor sentido, viajar pra acumular fotos e lembranças não faz o menor sentido. Claro que se pode fazer isso e claro que eu gosto de tirar mil fotos e costurar as bandeirinhas dos países que visitei na minha mochila, mas essa pode ser a razão para se viajar.

A única razão possível pra viajar deveria ser a mesma que nos faz acordar e ir trabalhar: viver o dia.

Porque viajar pode ser lindo, e fica mais lindo ainda quando a gente aceita os acontecimentos e se adapta a eles e segue adiante. Os viajantes que estão sempre insatisfeitos (com a qualidade da cama, com o tamanho do pão no café da manhã, com o atraso do guia, com o atraso do ônibus, com a poeira da estrada) não estão vivendo porra nenhuma. A viagem vai ser boa, talvez, no momento em que estiverem em casa mostrando as fotos pros amigos.

A questão é que viajar pode ser lindo tanto quando ficar em casa pode ser lindo.

O importante seria aprender a ESTAR.

E por tudo isso este se tornou meu objetivo de viagem: ESTAR.

Devo dizer que desde que me dei conta disso até a mochila ficou um pouco mais leve.

Texto por: Olívia Maia

Na coluna Feelings traremos toda sexta-feita um novo texto para vocês, e se você quer participar basta nos mandar um texto feito por você para o email meutexto@colorindovidas.com com seu nome, idade e cidade. Quem sabe seu texto não aparece aqui para colorir a vida de mais pessoas. 😉

Já falei aqui sobre os cincos snapchatters que você vai adorar conhecer e agora com o “snapgram” nada melhor que falarmos sobre os cincos perfis do Instagram que todo mundo precisa seguir. Esses igs podem até não postar coisas pessoais, mas são lindos, inspiradores e muito divertidos.

2insta

Esse perfil pertence a designer gráfica Jady Salvático, que começou a postar artes com frases por incentivo de uma amiga, faz todo o trabalho a mão. Ela já está chegando aos 30 mil seguidores e diz que tenta passar mensagens positivas as pessoas, por isso você pode sempre esperar ver frases divertidas e inspiradoras nesse instagram.

Jady já teve seu trabalho exposto em cases de celulares, livros, vinil, adesivos de paredes e com certeza você já viu a arte dela em algo da Kéfera Buchmann, como livro, esmalte, camiseta e no próprio canal da youtuber.

A designer nos contou que é incrível a sensação de ver seu trabalho exposto em lugares como livro, que atingem tantas pessoas que o instagram não conseguiria alcançar.

1insta

Esse perfil é super divertido, ele posta fotos engraçadas para retratar um momento, imagens vistas de como seria uma situação ao contrário (como um microfone segurando uma pessoa). Pode parecer muito louco, mas fica muito legal e com certeza algumas vão te tirar boas risadas. É realmente um Universo Paralelo.

insta3

Esse é um perfil norte-americano bem diferente e que você nunca saberá o que esperar. As vezes são fotos divertidas, inspiradoras, de lugares, mas o que eu mais gosto são as retiradas de filmes antigos, que sempre são postadas três imagens com um diálogo seguido em cada uma. É aquele tipo de Instagram de dar inveja quando você entra no feed, de tão organizado que é.

4insta

Assim como o da Jady, o Siga os Balões também posta artes de frases legais, engraçadas, inspiradoras. Esse trabalho lindo é feito por Daniel Duarte, que também como Jady, já tem sua própria linha de cases para celular. O carioca de apenas 21 anos, traz alegria para os seguidores com artes simples e muito fofas, dignas de muitos reposts.

A arte de Daniel é sempre postado em um papel amassado e com um fundo meio tumblr e ele diz que seus trabalhos são inspirados em desenhos infantis.

insta5

Sou meio suspeita para falar desse perfil, não é a toa que deiexei por último. Se você entrar na galeria de fotos do meu celular ou até mesmo no meu instagram, você vai se deparar com várias fotos desse ig, que é do escritor Matheus Rocha, que já têm dois livros publicados.

Grande parte das fotos postados no Neologismos são textos, ou parte deles, escritas pelo próprio Matheus e que sempre acrescentam muito na vida de quem está lendo. Matheus diz em seu perfil que escrever é vital para ele e que um de seus maiores sonhos era escrever.

Não tenho muito o que falar, são textos que realmente podem marcar sua vida ou simplesmente te fazer pensar sobre algo bom.

insta

E você, qual seu Instagram preferido? Você já conhecia algum desses? Deixa pra mim aqui nos comentários e aproveita para deixar o seu perfil também, vou adorar conhecer um pouquinho mais sobre vocês. 😉 Ah… Se quiser me seguir clique aqui ou procure por @DarahGomes, e não se esqueça de seguir o @ColorindoVidas viu.

O Colorindo Vidas preparou para vocês um top 5 dicas de fotografia para iniciantes para aqueles que são apaixonados por tirar fotos, ou que são apaixonados mas faltam algumas ideias.

Listamos 5 orientações básicas que fazem a diferença na hora de fotografar:

1.ISO

O ISO nas câmeras analóiso1600gicas, é a sensibilidade dos filmes e nas câmeras digitais, temos o sensor. Basicamente é a entrada de ”ruído” que é a granulação que percebemos na foto, a entrada de luz.

O uso de um ISO mais alto é ideal para quem quer fotografar com uma velocidade maior, ou em ambientes com pouca luz. Mas toda regra tem sua exceção, então não se limite, use sua criatividade para criar fotos legais.

 

 

 

* Dica: ISO em 1600 para fotos preto e branco, dão uma qualidade incrível.

 

2.Obturador

O OBTURADOR nada mais é que a velocidade da câmera na hora de fotografar, ou exposição.  Ele funciona como uma janela dentro da câmera que abre e fecha para que a luz chegue até o sensor. Quanto mais rápido ele se abrir, mais luz entrará, dessa forma, a foto sairá mais clara e assim funciona o efeito contrário também.

www.antoniorowe.com http://www.flickr.com/photos/nenozen/ www.antoniorowe.com http://twitter.com/neno_zen http://www.facebook.com/profile.php?id=1486370264#!/ https://profiles.google.com/102598681396668658510

O OBTURADOR tem como função congelar a foto, quanto maior sua velocidade, mais clareza sobre o objeto você terá.

Se a intenção for borra as fotos, é necessário que haja mais tempo de exposição para a melhor qualidade da imagem.

Sua distribuição funciona por partes de 1 segundo:

60 = 60/1

125 = 125/1

1500 = 1500/1

 

* Dica: Para realçar as fotos que quer destacar os movimentos, use um obturador maior. Ele é ideal para fotografar objetos. 

 

3. Diafragma

O DIAFRAGMA é o diâmetro da abertura das lentes. Ele é responsável pela quantidade de luz que entrará até o sensor.

Quanto maior for o número, menor será a quantidade de luz e mais escura a foto será. Funciona da seguinte forma: f/1, f/1.4, f/2, f/2.8, f/4, f/5.6, f/8, f/11, f/16, f/22, f/32, f/64.

Quando se fecha o DIAFRAGMA, sua área é reduzida pela metade, e à medida que se abre, ela é dobrada. Ele também determina as quantidades de planos focados em uma fotografia e o desfoque desses planos.

 

diafragma

 

* Dica: Fique atento ao foco, pois é muito fácil perder o plano principal da imagem.

 

4. Fotografia de Longa Exposição

As belas artes de fotografias feitas apenas com a luz natural, ou luz de ambientes muito distantes, criam um ”clima” para fotos de paisagens e natureza. Particularmente essa é uma paixão universal. O segredo para fotos de qualidade e nítidas é o tempo de exposição. Ter um bom tripé, ou usar o temporizador da câmera são ideais para aperfeiçoar esse tipo de fotografia, por que assim não haverá riscos de gerar qualquer tipo de movimento que comprometa a imagem.

As dicas acima dão um Q a mais nas configurações para uma boa foto.

exposicao

 

* Dica: fotografar estradas devido à velocidade dos carros, a câmera capta apenas os faróis, desenhando rastros. É um tipo bem legal de imagem.

 

 

 

 

 

 

5. Fundo Desfocado e a Profundidade de Campo

Esse efeito significa a baixa PROFUNDIDADE DE CAMPO, ou seja, uma foto pode ter muitos planos e a quantidade de planos desfocados definem a profundidade. Uma foto com alta profundidade se dá pela quantidade de itens focados e nítidos.

Ela é definida pelo tamanho da abertura e distância focal (zoom), quanto maior o zoom, mais é desfocada é o fundo.

Ao fazer essas alterações de abertura numa cena com mesma iluminação, é necessário compensar pelo obturador (velocidade) ou pelo ISO.

 

camera-091

 

* Dica: A baixa profundidade de campo dá um efeito muito legal ao fotografar pessoas, porém ao fotografar produtos e objetos, é preciso estar atento a isso.

 

Esperamos que tenham gostado das dicas e que fotografem muito! Envie suas fotos nos comentários e se divirtam.

Sigam nossa Página no Facebook Colorindo Vidas.

 

Ate :*

Você jáA-Rainha-Vermelha imaginou que existe um poder magnifico na cor do seu sangue? Mas, e se seu sangue for vermelho com poderes maiores que de qualquer prateado? Você está preparado para nadar contra a maré?

O livro de Victoria Aveyard foi sem dúvidas uma das melhores ficções que que já li. O assunto é um pouco batido, mas a autora toma um rumo sensacional ao incorporar cenas previsíveis em momentos alucinantes.

Uma garota pobre que faz de tudo para sustentar a família, mesmo que essa forma seja roubando. A luta incansável de um povo submisso pela cor do seu sangue, além da vida amedrontada pelos Prateados – aqueles que tem super poderes e sangue prateado – que reinam literalmente.

O livtumblr_nsd2luPkrl1rpgdk3o1_500ro me pareceu muito com A Seleção da Kiera Cass, a história de América com certeza foi uma base para a autora que transformou a história em algo surpreendente.

Mare Barrow – semelhança até mesmo no nome – uma plebeia, pobre, está destinada a viver sua vida servindo. Próxima a completar 18 anos, seu destino está selado com guerra. A luta incansável nas fronteiras será o destino de Mare e seu melhor amigo, Kirlon, assim como foi de seus irmãos.

Mas, os anos como ladra lhe trouxeram truques e contatos, um deles de um homem velho, que por acaso conhece alguém que pode ajudar os amigos a escapar do fatídico destino. Tudo o que Mare precisar fazer é conseguir uma fortuna, algo que nem mesmo sua mente é capaz de assimilar.

Porém, mesmo com um plano traçado e a ajuda de sua irmã, a garota não é capaz de conseguir roubar nada tão valioso, pois no meio dos prateados, ela se depara com um atentado poderoso da Guarda Escarlate, facção que tem lutado contra o império prateado.

Fracasso, dor e desilusão, são as únicas coisas que Mare consegue no meio dos prateados. Atormentada pelas circunstâncias ruins e seu plano mal sucedido, Mare acaba selando seu destino quando em uma caminhada noturna, acaba conhecendo um estranho, deixando que ele leve um pedaço de esperança com ele.

Quando seu prazo acaba e com ela toda sua fé, Mare é convocada a trabalhar no palácio, servindo prateados, e longe da guerra – ou pelo menos era essa a ideia -, mas parece que nem mesmo nessa situação é capaz de mudar o destino da garota.

Em meio a uma ”seleção” para escolher a futura esposa do príncipe Cal, que por coincidência é o mesmo rapaz da outra noite, Mare é atacada em meio a uma demonstração de poderes, e por puro magnetismo, ela descobre que seu sangue vermelho possui poderes maior do que qualquer prateado.

E esse livro é tãããão bom! Awn!

cal e mare

E como se já não bastasse ter toda a sua vida roubada pela infelicidade de viver em um mundo caótico, Mare também perderá sua identidade, pois agora ela é uma aberração. Vermelha com poderes prateados.

Assim, ela é obrigada a se casar com Maven, filho mais novo do rei, mas o destino a leva para outras direções e em um desses caminhos, Mare se alia a Guarda Escarlate e com eles ela pode ver um futuro melhor para os vermelhos. Porém, ninguém sabe o dia de amanhã.

 Todo mundo pode trair todo mundo!

Paixões, amizades, poderes, traições e segredos.

maven

Se apaixonem por esse livro! Vocês vão amar (:

Livros:

  1. A Rainha Vermelha
  2. Espada de Vidro
  3. King’s Cage – Data de lançamento prevista para 07/02/2017
  4. Coroa Cruel – Contos da A Rainha Vermelha

Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.

Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?

Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.

Até :*

 

 

 

 

[Você pode ler esse texto ao som de It’s Not Too Late – Demi Lovato]

“É triste quando alguém que você conhece se torna alguém que você conhecia.”

Essa citação ecoa na minha mente quase todos os dias desde quando a ouvi pela primeira vez. Eu me pergunto, de tempos em tempos, como eu deixei que isso acontecesse? Como eu deixei que alguém que eu conhecia tão bem se tornar algo passageiro na minha história?

Eu sei que não é um comportamento saudável. Eu sei que não é um comportamento positivo. Eu sei que é algo que eu aprendi uma vez, há muito tempo atrás, e nunca desvendei o porquê. Há buracos na estrada que deixei para trás. Pessoas que eu machuquei, discartei e deixei para trás.

Alguma dessas pessoas eu até já chamei de melhores amigos. Alguns eram apenas pessoas especiais. Mas todas elas, em um ponto, eu cheguei a pensar que não poderia viver sem. Me entristeço em dizer que, esse não foi o caso. Eu consegui continuar vivendo, seguindo em frente, mesmo eles estando longe.

Eu acho que isso é a pior parte de se despedir de alguém. É saber que não vai durar, saber que um dia eu vou parar de pensar nessa pessoa, e logo após isso, vou parar de me importar com ela.

Olhando para trás, há uns 10 anos, eu consigo perceber que os padrões que desenvolvi enquanto criança continuam se repetindo. Eu conheço a pessoa, começo a gostar dela rapidamente. Mas na mesma rapidez, eu consigo esquecê-las e seguir em frente sem elas.

Mas eu me pergunto se isso não é o natural. Eu analigo, me questiono e procuro por razões por trás do que eu faço e porque eu me relaciono com as pessoas. Talvez é apenas a forma como todos são, mas os outros são melhores em esconder isso.

Talvez não tenha problema emocional nessas ações e eu esteja apenas criando um drama para explicar como tantas pessoas ao meu redor chegam e partem da minha vida.

Se eu já fiz isso com você, eu sinto muito. Sinto muito por estar na sua vida em um momento e sair no outro. Sinto muito pelo espaço vazio que um dia eu posso ter deixado. Mas se faz alguma difrença, eu não sinto muito por ter te conhecido. Mesmo que isso pareça egoísta, eu sempre aprendo com as pessoas que conheço. Aprendo um pouco mais sobre a vida, o mundo ao meu redor e eu mesma. Então, obrigada!

alguémqueeuconhecia feelings

Textor de Jon Westenber, traduzido pela equipe do Colorindo Vidas.

Na coluna Feelings traremos toda sexta-feita um novo texto para vocês, e se você quer participar basta nos mandar um texto feito por você para o email meutexto@colorindovidas.com com seu nome, idade e cidade. Quem sabe seu texto não aparece aqui para colorir a vida de mais pessoas. 😉

Te desafio a sair pra algum lugar e não ver pelo menos uma pessoa usando alguma peça de roupa listrada. Ok, listras são bem comuns, mas veio com tudo nesse outono inverno. Alguns anos atrás vimos a “febre” das calças listradas, neste ano estamos vendo a estampa nos croppeds e blusas compridas (que inclusive é outro item que está virando item essencial no guarda-roupa das brasileiras).

  • Vestido “zebrinha”

seinspirelistras1

Não da pra conter nos dedos o número de pessoas que eu vejo usando vestidos ou blusas longas listradas quando vou ao shopping, sério. Mas calma, não é porque é listrado que não dê pra ousar na produção. Nem sempre é legal jogar outras estampas por cima, mas se você achar algo com estampa grande e de poucas cores, como a Nah Cardoso fez na segunda foto, você consegue criar uma harmonia no look.

Mas pra não errar, o legal é você apostar na peça com “acessórios”, um maxi colar, assim como uma bota, são uma boa pedida se você for pra algum evento mais chique. Mas se você quer algo mais básico para sair, use e abuse do tênis (alô, alô, tênis branco) ou uma botinha, e aposte em uma jaquetinha ou um chapéu.

  • Manhê, quero uma “brusinha” listrada

seinspirelistras2

Quem não tem sequer uma blusinha com listras que atire a primeira pedra. A blusa listrada é bem mais tranquila, não tem como errar. Nas quatro inspirações que trouxe pra vocês, duas são com saias e duas com calças, mas o que achei mais interessante nelas é que da pra ver como o look pode ser mais delicado ou mais dia-a-dia independente se você escolheu uma saia ou calça.

Se você quer um look mais dia-a-dia tente apostar em peças mais simples e confortáveis e se quiser algo mais produzido opte por peças e acessórios mais chiques, como sapato de salto, calça de couro, relógio.

E apesar de três inspirações nas imagens terem apenas cores neutras, você pode sim abusar das outras cores do arco-íris, se jogue, mas vai com cuidado porque estou falando de cores e não estampas!

  • Voltamos para 2013?!

seinspirelistras3

Em 2013 vimos as vitrines se encherem de calças e shorts com listras black&with, mas não é porque já passou que você não consiga fazer uma produção legal com a peça. Então pega sua calça/short listrada lá no fundo do guarda-roupa e vem se inspirar.

Uma boa aposta com calças B&W são blusas com escritas, que deixam o look mais divertido do que colocar uma blusa só de uma cor né?! Se você preferir apostar em uma blusa com estampas, como eu já disse, tenha muito cuidado na hora da escolha. E como eu também já disse, se quer algo mais produzido, aposte em um blazer, uma bolsa, um salto, colares, fica lindo!

Se você vai para algum evento mais chique, como uma festa de 15 anos, opte por peças finas e apenas com uma cor, pois o short/calça B&W pode ser o destaque do look, como você pode se inspirar pela segunda foto.

Ps.: Já fiz um #LookNossodeCadaDia com short listrado, quer ver? Clique aqui.

Cara-Delevingne-GIF2

Eai, gostaram das dicas? Vocês têm quais e quantas peças B&W no guarda-roupa? Deixa aqui nos comentários pra gente, vamos adorar saber! E quer ajuda para se inspirar com outras peças ou estampas? Manda pra gente sua sugestão, quem sabe não falamos sobre, no próximo #SeInspire 😉

Anavitória é uma dupla, composta por Ana Caetano, 20 anos, e Vitória Falcão, de 19 anos, que após postarem vídeos na internet, foram descobertas por Felipe Simas, o atual empresário, e o cantor Tiago Iorc, que produziram o disco. Apesar do cd ter saído agora, as duas já eram conhecidas por quatro músicas que tinham lançado anteriormente por meio do selo “Forasteiro”, que é um projeto para artistas independentes.

O álbum tem um estilo conhecido como “pop rural”, que tem uma pegada mais folk e romântica (e não, não é um sertanejo universitário). É algo único e com as vozes “singulares” da dupla, tudo se encaixa e o resultado foi brilhante, até mesmo pra quem não curte o estilo.

O álbum é composto por 11 músicas, sendo duas do antigo ep, uma em parceria com Tiago Iorc e um cover da música Tocando em Frente de Almir Sater,que nos traz uma paz ao ser ouvida e já virou uma das minhas favoritas, mesmo não sendo fã da original.

A harmonia das vozes de Ana e Vitória, mesmo sendo tão diferentes, é incrível e transmite uma alegria e paz para quem ouve. Uma das músicas que mais vejo isso é Agora Eu Quero Ir, que tem aquela melodia que te dá um sentimento bom no momento que você começa a ouvir, sabe?! E a letra, que fala sobre uma pessoa que se deu muito a um relacionamento que acabou, é apaixonante, e ao invés de ser algo triste, as meninas surpreendem falando sobre se reconhecer e se refazer longe daquela pessoa, com um sentido positivo à aquele sentimento.
E por último, vou deixar vocês com uma das músicas mais conhecidas da dupla: Singular, que já estava presente no ep anterior, mas foi regravada para o álbum. A música fala sobre as singularidade de um relacionamento, que é especial pelas pequenas coisas. “Pro nosso nós não deixar de ser assim: tão singular”
Curtiram Anavitória? O disco do duo já está disponíveis em todas as plataformas digitais. Não deixem de ouvir Talvez a Deus e a música que gravaram com o Tiago, Trevo (Tu). O disco todo está lindo! Vale lembrar que a tour de lançamento do álbum começa no próximo mês e vai passar por Uberlândia, no Festival Timbre.
Aproveita pra comentar qual música da Ana e da Vitória você mais gostou e deixar uma sugestão de álbum aqui pra gente, quem sabe não aparece no próximo Colorindo Vidas Indica. 😉