Tag: ‘banda’

10 . outubro . 2016

Eu adoro falar sobre bandas regionais, conhecer novas músicas, tanto é que vou comprar álbuns sem nem ouvir falar do artista. No Festival POP, que terá a próxima edição no dia 29 de outubro, eu conheci a banda uberlandense AP7, que inclusive vamos falar aqui em breve. Mas esse não é o foco hoje, pois vamos falar é de uma banda super fofa lá de São Paulo: A Jolt.

A banda de São Bernardo foi formada em 2014 pelos irmãos Cauan e Mariana, então com 14 e 11 anos, respectivamente, após participarem do Lollapalooza Kids. Apesar da pouca idade, a desenvoltura vocal de ambos chamou a atenção, tanto que tiveram a oportunidade de iniciarem um projeto acústico em um estúdio renomado de São Paulo, com arranjos e cordas do guitarrista Tuco Marconde.

Logo depois surgiu a ideia de formarem uma banda com um estilo calcado no pop rock. Novos integrantes passaram a fazer parte da Jolt. A partir daí começaram a trabalhar no primeiro EP, chamado Keep On, com composições próprias em inglês e baseadas em uma música forte, dinâmica e de letras simples.

Com o primeiro single “Bloom Lady”, em março de 2015, a banda foi uma das finalistas da promoção “Temos Vagas – Lollapalooza” da Rádio 89FM. Com uma votação expressiva ficou entre as 10 mais votadas e, por muito pouco, não subiu ao palco da quarta edição do festival.

Os músicos da Jolt têm entre 13 e 27 anos: Mariana e Cauan nos vocais, Douglas Adelantado "Dough" na bateria, Deh Mallagrino no baixo, Leticia Meyer e Lucas Araújo, ambos na guitarra. Juntos eles tocam o melhor da música nacional e internacional, além do material autoral que sofre influências do pop rock.

Conquistar um novo mercado é o desafio de todo artista. A busca por esse público é o que motivou a vinda da banda paulista Jolt a Uberlândia para uma série de shows ao lado da AP7, entre os próximos dias 14 e 17 de outubro.

“Essa é uma conexão entre São Paulo e Minas Gerais, com duas bandas se ajudando no cenário da música nacional. Da mesma forma que iremos para Uberlândia, os traremos para São Paulo, provavelmente ano que vem. Essa prática é bem comum no meio sertanejo, mas não no pop rock. Por isso, queremos impulsionar essa troca de experiências musicais”, disse o produtor da Jolt, César Machado.

As músicas da banda paulistana está disponível no Spotify, além de covers e outras músicas autorais liberadas no perfil da banda no YouTube.

A primeira apresentação da Jolt será no Rock ‘n Beer, na sexta-feira (14). No sábado (15), eles fazem show no Festival Keep on Rocking, no Vila Bella Eventos. A passagem da banda pela cidade se encerra na segunda-feira (17) com show para os alunos do Colégio Nacional.

 

Banda AP7

Quem também participa dessa conexão é a banda AP7, de Uberlândia. Segundo o vocalista Ítalo Miranda, será uma experiência importante para a divulgação dos trabalhos. “Acabamos de gravar um CD autoral chamado “O mundo vai girar” e as músicas falam justamente sobre isso. A ideia é trazer o trabalho da Jolt até Uberlândia e poder levar nosso trabalho para um lugar diferente. Apesar de tocar em outras cidades, queremos expandir ainda mais nosso som, levando o nome da AP7 para todos os cantos do país”.

CaSi

15 . Janeiro . 2016

O Colorindo Vidas te indica hoje uma visita a outro planeta. Sim, vamos fugir da terra um pouquinho. E não, nós não estamos falando de StarWars. Muito pelo contrário, estamos falando sobre a banda do Centro-Oeste brasileiro: A Bella Xu, que é composta por Jenner (vocal), Arthur (guitarrista e vocal), Matheus (guitarrista), Plablo (baterista) e Yev (baixista).

A banda lançou recentemente seu mais novo EP, intitulado Direto de Mart, e esta incrível. Vale a pena conferir no site dos meninos, que inclusive está com um design bem intergalático, o vídeo que eles fizeram de divulgação do novo trabalho, que além de te contarem uma história, tem o clipe de todas as músicas do EP. A música que me deixou mais viciada foi a Sete Vidas, não sei porque mas sempre que escuto fico com uma vontade de viajar hahaha, a canção tem uma pegada mais rock, me lembrou um pouco a banda fresno, mas é ainda melhor.

E como eu já disse: Direto de Mart é o mais novo EP deles, mas não o único. Eu conheci a banda pelo EP 140, que também está cheio de letras muito bem trabalhadas e melodias contagiantes. E o Jenner Melo gravou um acústico maravilhoso do single Incondicional. Confira:
Agora corre lá no site deles para ter uma viagem única, e nos conte depois como foi ok?!
Tem algum álbum legal pra indicar pra gente? Deixa aqui nos comentários. 😉
06 . agosto . 2015

Hey galera, meu nome é Juan, tenho 18 anos, faço letras e também vou ser colaborador aqui UHUUUUL!

Então, para começar com os posts resolvi falar sobre esta banda inglesa (maravilhosa) que eu tô viciado, Years & Years. “Mas Juan, já mencionaram ela aqui no Colorindo Vidas… ” Justamente, só mencionaram e eu acho que ela merece um post inteiro! hahaha

Pois então, minhas amigas sempre falaram de como a música que eles fazem é boa e etc, mas nunca dei muita bola pros caras, POR FAVOR, NÃO FAÇAM COMO EU!

O grupo é composto de 3 integrantes: Olly Alexander (vocalista), Mikey Goldsworthy (baixista) e Emre Türkmen (sintetizadores). Ele já teve mais duas pessoas em sua composição, mas saíram com o passar do tempo, já que foi criado em 2010.

Na foto: Olly no meio, Mikey na esquerda e Emre na direita.

Na foto: Olly no meio, Mikey na esquerda e Emre na direita.

A indústria musical classifica a Years & Years como Eletro-pop, um Eletro-pop de muito sucesso pelo jeito, pois seu álbum de estreia, Communion, atingiu o primeiro lugar da lista britânica de disco mais vendidos na primeira semana de lançamento.

O álbum está disponível na Amazon, iTunes, Google Play e no serviço de streaming Spotify.

O álbum está disponível na Amazon, iTunes, Google Play e no serviço de streaming Spotify.

Algo que me chamou muito a atenção foi o fato de o Olly colocar em evidência sua homossexualidade nas letras das músicas por meio do uso de artigos masculinos em duas músicas do álbum: Real e Memo. A importância de músicas assim existe por um simples motivo: representação. Todo mundo gosta de escutar uma música e se sentir representado nela não é? Mas hoje raramente encontramos músicas que realmente representam as pessoas não heterossexuais.

O blá blá blá acabou, agora confiram os clipes de Shine e Real, respectivamente, aqui embaixo:

Por favor, escutem o álbum completo, preciso de pessoas pra amar eles comigo! hahaha