Tag: ‘felicidade’

05 . agosto . 2016

Vivemos em uma busca incansável pela tal da felicidade. Odiamos as segundas-feiras e torcemos para que a semana passe rápido. Os estudos, o trabalho tem se tornado um fardo e contamos os dias para as férias chegarem. Vibramos com os feriados e aproveitamos o nosso tempo livre dormindo.

Trocamos conversas numa tarde qualquer pelo bate papo e as redes sociais. Deixamos as ligações de lado e mandamos um áudio no whatsapp. Só lembramos dos aniversários porque o tal do Facebook nos avisa, e já desconhecemos o que é uma biblioteca porque o mestre Google sempre responde aos nossos questionamentos. Vivemos a espera dos romances de filmes, mas dispensamos as pessoas porque não queremos compromissos.

Nos auto intitulamos independentes, mas vivemos carentes de um colo e um cafuné. Adoraríamos ter alguém para tomar um café e apenas conversar, mas vivemos reafirmando aos quatro cantos do mundo o quanto é bom ser sozinho e que tudo está bem. Defendemos a política do bom senso, do não ao preconceito, mas julgamos a tudo e a todos,  o tempo todo. Falamos das relações superficiais, mas já nos esquecemos do que é um abraço.

Vivemos num paradoxo, vivemos em contradição. Vivemos criando padrões e expectativas que são difíceis de alcançar. Colocamos alvos e metas, mas esquecemos de ir atrás. Esperamos que tudo aconteça ao natural. Colocamos a felicidade como meta e vivemos no lance do quando… “quando eu passar em um concurso vou ser feliz”, “quando eu conseguir aquele emprego vou ser feliz”, “quando eu ganhar bem vou ser feliz”, “quando eu casar vou ser feliz”. Mas o grande engano é que sempre haverá outros desejos, outras metas e sempre estaremos adiando a nossa felicidade.

Idealizamos o amor e deixamos escapar os gestos mais bonitos, o carinho, o afeto verdadeiro, e o sentimento sincero. Felicidade e amor não devem estar alicerçados em coisas ou pessoas,  fazer isso é chamar a decepção e convidá-la a fazer parte da sua vida. Mude a cara da sua segunda e deixe a semana passar sem pressa, aproveite cada momento e se realize nas pequenas coisas. Seja a melhor versão de você mesmo em tudo, espere grandes coisas, você merece, mas aprecie as pequenas coisas, afinal elas também podem te proporcionar grandes coisas é só você buscar ver o mundo com outros olhos.

Permita-se viver, veja a oportunidade em cada dificuldade, aproveite as chances que a vida dá. Não desperdice seu tempo com coisas vãs, não se deixe chatear por coisas sem valor, por pessoas que não se importam com você. Veja a vida com outros olhos, a tal da felicidade não tem nome, nem lugar, nem hora pra chegar.

Texto por: Thamilly Rozendo

Na coluna Feelings traremos toda sexta-feita um novo texto para vocês, e se você quer participar basta nos mandar um texto feito por você para o email meutexto@colorindovidas.com com seu nome, idade e cidade. Quem sabe seu texto não aparece aqui para colorir a vida de mais pessoas. 😉

13 . Maio . 2016

[Leia este texto ao som de Hit the lights – Selena Gomez & The Scene]

Enquanto eu estava procurando um tema legal para compartilhar com vocês, caros leitores, me deparei mais uma vez com a constância de felicidade da vida! Você sabe o que é a felicidade certa’ ?

Nas rotinas de aprendizado na faculdade, nós alunos nos deparamos com vários tipos de questionamentos e opiniões possíveis. No instante que concordamos, logo achamos uma brecha que pode guiarmos para um paralelo diferente. Encontramos em mil e umas palavras, sentidos, conexões, coerência e concisão. Mas, em todo esse contexto ilustre, nos deparamos com ansiedades, frustrações, realizações e a felicidade certa.

Não paramos para pensar que somos totalmente dependentes do nosso desenvolvimento, seja ele físico, intelectual. social ou emocional. O que tem caracterizado o raciocínio está ligado a forma que a pessoa foi criada, construiu seus valores e se adapta a outros. E então, com tamanhas imposições, batemos de frente aos questionamentos sociais. O modo como vestimos, falamos, o que comemos e o que possuímos.

Por que não consigo ser feliz apenas como que tenho? Eu realmente tenho que ser aceito pelo padrão?

Somos parte de uma máquina. A imposição de conexão nos torna virtuais e dependentes. A necessidade de pertencer a um grupo social também influência na nossa felicidade.

E então chega o momento: O que é felicidade?

Um famoso psicólogo disse uma vez: ‘A criança não possui respostas imediatas como os animais, o seu desenvolvimento é conforme a idade, elas se ajustam ao mundo. Elas são motivadas a explorar e compreender o mundo através da sua participação ativa.’ Piaget.

Existe uma linha muito fina e extensa que separa a loucura da sanidade, e essa mesma linha separa a ilusão da vida dependente.

A procura da nossa felicidade deve ser sempre explorada. Devemos ser uma tela em branco para que cada etapa seja delicadamente desenhada. Cada oportunidade de buscar aquilo que se tem vontade deve ser escrita, buscada com todas as forças. Nosso cérebro possui enigmas criptografadas, mas a nossa vontade de viver livremente, sem qualquer imposição deve ser mais do que as barreiras.

Somos todos confrontados pelas dificuldades e obstáculos, mas esses devem ser os fatores que o incentivam a chegar a felicidade certa.

É preciso mais do que planos para encontrar a felicidade. A necessidade de progredir, produzir e presenciar devem ser maior do que qualquer dificuldade, pois a felicidade acerta!

Onde está a sua felicidade?

awebic-pessoas-felizes-2

As vezes não sabemos onde depositar tantos sentimentos, mas que maneira melhor de ser uma tela diferente do que depositando em si mesmo todos os sonhos, repostas e sabedoria?

Você sabe onde encontrar a felicidade certa?

Você acerta?

Bjs ;*