Tag: ‘McFly’

19 . Abril . 2016

“A rádio precisa ser vista, para ter um diferencial e continuar não perdendo espaço, como um veículo que caminha por todos os outros (…) Investir no rádio dessa maneira, nós vamos ter cada vez mais, um rádio evoluído, forte, bem posicionado, e que para de apontar defeitos nos outros veículos e começa a agregar junto com eles essas multiplataformas.” – Gestor de marketing, coordenador de departamento artístico e radialista Dan Rocha.

A rádio está na vida dos brasileiros a mais de 90 anos. Durante este período a rádio já teve seus altos e baixos, tendo que enfrentar novas tecnologias multimidiáticas e estar sempre inovando para não perder seu público. Como já passamos, e iremos passar, por várias fases da rádio no Brasil, é importante entendermos como a rádio sobreviveu e evoluiu depois de tantas crises, e o porquê de ainda ter uma boa audiência depois de todas essas crises.

Muitas vezes que vemos novas tecnologias sendo disponibilizadas para o público é comum ouvirmos que será o fim do rádio, pois o hábito de comportamento das pessoas vai sendo moldado a cada mudança tecnológica que acontece. E apesar de a rádio ter sim perdido espaço, ela não acabou, pois estão sempre tentando se expandir e inovar.

A primeira ameaça que a rádio enfrentou foi a televisão, que apesar de ter demorado a se tornar popular, logo se estabeleceu e tomou um grande espaço. Mas na época a culpa da não estabilidade dos ouvintes não foi apenas pela televisão, mas também pelo método de consumir rádio. Antes as pessoas demoravam bastante tempo até conseguir sintonizar em um canal de rádio, mas a inovação de apenas clicar em um botão do carro ou do aparelho de som para mudar de estação fez com que os ouvintes não permanecessem em uma mesma rádio por um longo período de tempo.

A rádio sempre foi um espaço para divulgar novos talentos musicais, antigamente as pessoas esperavam sua canção preferida tocar na rádio para colocar uma fita e gravar. Mas com a chegada do CD, muitos pensaram que seria o fim da rádio musical, pois poderiam gravar ou comprar seu cd facilmente. No começo o CD até foi considerado um concorrente da rádio, mas a rádio sobreviveu a isso também, pois a rádio é bem superior a isso, o conteúdo vai além do que apenas músicas.

”Quem não aumenta o volume do rádio quando toca a sua música predileta? Alguém de vocês já deve ter dito – tá tocando a minha música. A sensação de mais pessoas estarem ouvindo a sua música favorita também traz um sentimento de comoção.

Eu paro tudo o que estou fazendo no momento e fico atento ao som” – Estudante de jornalismo, Marlon.

Mas uma das maiores ameaças foi a internet, que é um meio considerado bem mais prático de se comunicar, ser informado e ouvir músicas. E assim como as outras ameaças, a rádio perdeu forças para a web, mas não acabou. Até começaram projetos de rádio via internet, mas pela questão da diferente contabilização de cliques na net (o que era cliques, se torna ouvintes), o projeto acabou saindo caro com poucos patrocinadores, e trabalhoso por ter que focar apenas em conteúdo, sem músicas.

Apesar de esses veículos serem considerados muitas vezes ameaças para rádio, eles estão sempre tentando ir além, buscar seus ouvintes aonde eles estão por exemplo. Para isso eles podem agregar os produtos da rádio na televisão, como o Pânico Jovem Pan que agregou seus quadros a um programa de TV que hoje é o Pânico Na Band.  Na web eles estão se fortalecendo através de portais e redes sociais para divulgar a sua programação. E também buscando o ouvinte na rua, fazendo ‘promoções comerciais’, ou seja, dando brindes da rádio para as os ouvintes que estão na rua incentivando-os a sintonizar no canal. Mas será que isso é mesmo necessário? Será que é uma página, uma promoção, um brinde que deve nos fazer migrar para o rádio de vez em quando?

A verdade é que aquele sentimento maravilhoso de quando você ouve o novo álbum do seu artista favorito pela primeira vez, nós só conseguimos sentir novamente quando alguma das músicas é tocada na rádio, é toda aquela emoção de volta, mesmo que já tenhamos ouvido ela centenas de vezes no spotify. E querendo ou não, as rádios são as grandes responsáveis por nos deixar ainda mais proximos de nossos cantores preferidos, é através do que mais toca nelas que os promotores de eventos das cidades decidem quais shows devem trazer. Sei que muitos acham rádio algo do passado, mas é uma das melhores formas de realmente divulgar os artistas que você gosta, e conhecer outros cantores diferentes, não se trata de camisetas, brindes ou sites, se trata de entretenimento de qualidade. Os entretenimentos das grandes mídias podem até não fazer jus aos seus gostos, mas pode ter certeza que você vai encontrar alguma rádio em que vai se identificar, ‘cause love is on the radio.

tumblr_mwolo1XiEf1qcq4b7o2_500

(O amor está no rádio… aumente, aumente) – McFly: Love is on the radio