Tag: ‘O Diabo Veste Prada’

19 . Abril . 2017

Quando pensamos em moda, o que nos vem à cabeça? Glamour, desfiles, grifes, beleza… Outros acham que moda é futilidade, besteira. Mas o que é moda?

Moda vem do latim Modus e significa modo, maneira, comportamento. Portanto, podemos dizer que moda é um fenômeno que define o que um grupo de pessoas está preferindo em determinado momento, podendo estar presente em diversas áreas (ciências, artes, literatura, etc).

Moda é tendência de consumo da atualidade. Ela acompanha o vestuário e o tempo, num contexto político, social e sociológico. Por exemplo: você sabia que na 2ª Guerra Mundial, o governo londrino impôs, além do racionamento de alimentos, o racionamento de vestuário, devido à escassez de bens essenciais. As saias longas e volumosas, ficaram mais curtas e retas. Com os homens na guerra, as mulheres assumiram trabalhos tipicamente masculinos e isso afetou também a vestimenta: calças, macacões, blusões de aviador e tailleur passaram a afazer parte do guarda-roupa feminino.

Além de ser representação social, moda é arte. O estilista, a costureira, o alfaiate se expressam ao produzirem uma roupa.

Logo, moda é comunicação; comunicação não verbal. O que você veste diz algo sobre você. Um jeans e uma camiseta branca passam uma informação.

Outro fator é decisivo para destacar a importância da moda, é sua relevância econômica. Muito além das passarelas, a indústria da moda emprega diversos profissionais e movimenta outras áreas da economia. Em 2016, o mercado mundial da moda movimentou U$ 2,4 trilhões.

No Brasil, para 2017, a perspectiva é de que o faturamento do setor têxtil e de confecção seja de R$ 135 bilhões (US$ 40,2 bilhões), o que significa um aumento de 4,6% em relação a 2016, segundo a Abit – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção.

Atualmente, o segmento totaliza mais de 365 mil empresas de varejo e é detentor de mais de 679 mil postos de trabalho, movimentando quase R$ 10 bilhões em salários. O aumento nas vendas nos últimos 10 anos, fez com que o Brasil saltasse da sétima para a quinta posição no ranking dos maiores consumidores mundiais de roupas.

Ao fim, podemos afirmar definitivamente que futilidade não cabe nesse cenário, uma vez que, para entender de moda, é preciso no mínimo, conhecimentos de Cultura, Arte, Psicologia, História e claro, Economia.

Pra encerrar, uma cena marcante do filme O Diabo Veste Prada, resume a relevância da moda.

Miranda, editora chefe de uma importante revista de moda está escolhendo os acessórios para um ensaio fotográfico. Uma assistente mostra dois cintos aparentemente parecidos para ela escolher, e diz  que os dois são muito diferentes. Neste momento, Andréa dá uma risada.
Miranda – Algo engraçado?

Andréa – Não, nada. É que para mim estes dois cintos são iguais. Eu ainda estou aprendendo sobre essas coisas.

Miranda – Essas… coisas? Ah, ok, entendi. Você acha que isso não tem nada a ver com você. Você vai até o seu guarda-roupa e escolhe esse sweater azul folgado para dizer ao mundo que se leva muito a sério pra se importar com o que veste. O que você não sabe é que esse sweater não é apenas azul. Nem turquesa, nem lápis-lazúli. Na verdade, é cerúleo. E você também não tem a menor noção de que, em 2002, Oscar de la Renta fez vestidos cerúleos e Yves Saint Laurent fez jaquetas militares cerúleas. E o cerúleo logo foi visto em oito coleções diferentes. E acabou nas grandes lojas de departamento e, um tempo depois, em alguma lojinha de esquina onde você, sem dúvida, o comprou em uma liquidação. No entanto, esse azul representa milhões de dólares e incontáveis empregos. E é até meio cômico que você ache que sua escolha a isente da indústria da moda quando, de fato, você usa um sweater que foi selecionado pelas pessoas nesta sala”.

Joana Araújo é bacharel em Secretariado Executivo e Jornalismo, com formação em Jornalista de Moda e Consultoria de Imagem. Herdou interesse pelo mundo fashion da mãe, que é costureira e resolveu aliar as duas paixões: jornalismo de moda.